Pular para o conteúdo
Início » Psoríase: O que é, Tratamento, Causas e Sintomas

Psoríase: O que é, Tratamento, Causas e Sintomas

A psoríase é uma doença de pele relativamente comum, crônica e não contagiosa que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Caracterizada por ser cíclica, essa condição apresenta sintomas que desaparecem e reaparecem periodicamente, muitas vezes causando desconforto significativo e impactando a qualidade de vida dos afetados. Neste artigo, exploraremos em detalhes o que é a psoríase, suas causas, sintomas e opções de tratamento disponíveis.

O Que é a Psoríase?

A psoríase é uma doença autoinflamatória da pele, com predisposição genética como um fator-chave, que, quando combinada com fatores ambientais ou comportamentais, desencadeia o aparecimento de lesões avermelhadas e descamativas na pele. Essas lesões são o resultado de um processo inflamatório desencadeado pelos linfócitos T, células responsáveis pela defesa do organismo, que liberam substâncias inflamatórias, causando a dilatação dos vasos sanguíneos e recrutando outras células de defesa para a pele, como os neutrófilos. Esse ataque inflamatório leva a um aumento na proliferação da pele, resultando na característica descamação observada nas lesões.

Psoriase
Psoríase: O que é, Tratamento, Causas, Sintomas

É importante destacar que a psoríase não é contagiosa, e o contato com pacientes não precisa ser evitado. No entanto, até 30% dos pacientes podem desenvolver inflamações semelhantes nas articulações, levando à chamada artrite psoriásica, uma manifestação adicional da doença. Além disso, a psoríase está associada a várias condições de saúde, como doenças cardiometabólicas, distúrbios gastrointestinais, cânceres e distúrbios do humor, o que pode reduzir a qualidade de vida e, em casos graves não tratados, diminuir a expectativa de vida.

Sintomas da Psoríase

Os sintomas da psoríase variam de paciente para paciente, dependendo da apresentação e gravidade da doença. Os principais sintomas incluem:

  • Manchas vermelhas com escamas secas esbranquiçadas ou prateadas.
  • Pequenas manchas residuais brancas ou escuras após a melhora das lesões avermelhadas.
  • Pele ressecada e rachada, às vezes com sangramento.
  • Coceira intensa, queimação e dor.
  • Unhas grossas, descoladas, amareladas e com alterações na forma, incluindo sulcos e depressões.
  • Inchaço e rigidez nas articulações, podendo levar à destruição e deformidades em casos graves.

Em casos leves de psoríase, os sintomas podem causar apenas desconforto. No entanto, em casos mais graves, a condição pode ser dolorosa e impactar significativamente a qualidade de vida e a autoestima do paciente, tornando fundamental buscar tratamento o mais cedo possível.

Fatores de Risco e Causas da Psoríase

Vários fatores podem aumentar as chances de uma pessoa desenvolver psoríase ou piorar o quadro clínico existente, incluindo:

  • Histórico familiar: Entre 30% e 40% dos pacientes de psoríase têm parentes de primeiro grau com a doença.
  • Estresse: O estresse agudo ou crônico pode desencadear ou agravar as lesões psoriásicas.
  • Obesidade: O excesso de peso está associado ao aumento do risco de desenvolver psoríase, e os pacientes com a doença tendem a ter sobrepeso.
  • Clima frio: A exposição à pele ao tempo frio pode piorar os sintomas, enquanto a exposição solar controlada pode ajudar a melhorá-los.
  • Infecções diversas: Infecções, como as de garganta, podem desencadear a psoríase gutata.
  • Medicamentos: Alguns medicamentos, como antimaláricos, betabloqueadores para hipertensão e lítio para transtorno bipolar, podem agravar as lesões.
  • Consumo de álcool e tabagismo: Ambos tendem a piorar as lesões existentes.

Existem vários tipos de psoríase, e é essencial consultar um dermatologista especializado no tratamento da doença para identificar, classificar e indicar a melhor abordagem terapêutica para cada caso.

A psoríase é um tipo de doença autoimune. As doenças autoimunes começam pelo intestino devido a disbiose, quando a proporção de bactérias fermentadoras diminui e aumenta as bactérias putrefadoras, ocorre a permeabilidade intestinal. Isso ocorre porque as bactérias fermentadoras não estão ali para filtrar e processar os alimentos corretos que devem passar para a corrente sanguínea. As bactérias putrefadoras deixam passar substâncias que não deveriam passar, como, por exemplo, uma proteína que não foi digerida, e ao ela entrar na corrente sanguínea o sistema imunológico vai criar anticorpos para combater essa proteína e esses anticorpos depois seguem vivos. Esses anticorpos não morrem e começam a atacar a pele, causando psoríase.

Tipos de Psoríase

A psoríase pode se manifestar de diferentes formas, e cada tipo possui características específicas:

Psoríase em placas ou vulgar: Esta é a forma mais comum da doença e apresenta placas secas, avermelhadas, com escamas prateadas ou esbranquiçadas. Essas placas podem coçar e, em alguns casos, causar dor. São frequentes nos joelhos, cotovelos, couro cabeludo, região lombar e cicatriz umbilical, mas podem aparecer em qualquer parte do corpo, incluindo os genitais. Em casos graves, a pele pode rachar e sangrar.

Psoríase ungueal: Afeta as unhas das mãos e dos pés, causando crescimento anormal, espessamento, descamação, alteração de cor e deformidades. Em alguns casos, a unha pode descolar do leito.

Psoríase do couro cabeludo: Caracteriza-se por áreas avermelhadas com escamas espessas, branco-prateadas, principalmente após coçar o couro cabeludo. Pode resultar na presença de flocos de pele morta nos cabelos ou nos ombros, especialmente após coçar, lembrando a caspa.

Psoríase gutata: Geralmente desencadeada por infecções bacterianas, como as de garganta, esta forma apresenta pequenas feridas em forma de gota no tronco, braços, pernas e couro cabeludo. As feridas são cobertas por uma fina escama, diferente das placas típicas da psoríase. Afeta mais frequentemente crianças e jovens antes dos 30 anos.

Psoríase invertida: Afeta principalmente dobras e áreas úmidas, como axilas, virilhas e embaixo dos seios. Manifesta-se como manchas inflamadas e vermelhas, sem a descamação grosseira observada em outras áreas. O quadro pode piorar em pessoas obesas ou em casos de sudorese excessiva e atrito na região.

Psoríase pustulosa: Caracteriza-se por pústulas (pequenas bolhas que parecem conter pus) sobre a pele intensamente avermelhada. Pode ocorrer em todo o corpo ou em áreas específicas, como mãos, pés ou dedos (chamada psoríase palmoplantar). Essa forma se desenvolve rapidamente, com bolhas de pus aparecendo poucas horas após o surgimento da vermelhidão. As bolhas secam em um ou dois dias, mas podem reaparecer durante dias ou semanas. A psoríase pustulosa generalizada pode causar febre, calafrios, coceira intensa e fadiga. É uma apresentação grave da doença que requer tratamento adequado.

Psoríase eritrodérmica: Esta é a forma menos comum e afeta todo o corpo com manchas vermelhas que podem coçar ou arder intensamente, muitas vezes acompanhadas de febre e calafrios. Pode ser desencadeada por queimaduras graves, tratamentos intempestivos, infecções ou outras formas de psoríase mal controladas, exigindo, às vezes, hospitalização para controle.

Psoríase artropática: Essa manifestação da psoríase afeta as articulações, causando dores intensas, principalmente ao iniciar o movimento das articulações. Pode levar a rigidez progressiva e deformidades permanentes em qualquer articulação do corpo, incluindo a coluna vertebral.

Tratamento para a Psoríase

O tratamento da psoríase é altamente individualizado, pois cada tipo e gravidade da doença podem responder melhor a diferentes abordagens terapêuticas ou a combinações delas. O objetivo principal do tratamento é controlar os sintomas, melhorar a qualidade de vida e evitar complicações.

Existem várias opções de tratamento disponíveis, incluindo:

Tratamento tópico: Envolve o uso de medicamentos em cremes e pomadas aplicados diretamente na pele. É adequado para casos leves a moderados de psoríase e pode ser usado isoladamente ou em combinação com outras terapias.

Tratamento com Suco Fermentado: Consiste em beber um suco fermentado diariamente. O suco fermentado contém todos os nutrientes necessários para o equilíbrio da Microbiota, eliminando a Disbiose e assim tornando a produção de anticorpos mais eficaz.

Veja esta opção de suco fermentado para o Tratamento da Psoríase

Tratamentos sistêmicos: Estes incluem medicamentos em comprimidos ou injeções e são geralmente indicados para pacientes com psoríase grave, artrite psoriásica ou aqueles com psoríase leve que não respondem ao tratamento tópico ou à fototerapia.

Tratamentos biológicos: São medicamentos injetáveis ​​indicados para o tratamento de psoríase grave. Existem várias classes de tratamentos biológicos, como anti-TNFs, anti-interleucina 12 e 23, anti-interleucina 17 e anti-interleucina 23, que podem ser prescritos pelo médico, dependendo das necessidades do paciente.

Fototerapia: Consiste na exposição controlada da pele à luz ultravioleta sob supervisão médica. Existem dois tipos principais: PUVA e NB-UVB, ambos eficazes para controlar os sintomas.

Além do tratamento médico, o acompanhamento psicológico pode ser recomendado em casos de psoríase, uma vez que a condição pode afetar significativamente a qualidade de vida e a autoestima do paciente. Adotar um estilo de vida saudável, incluindo uma alimentação balanceada, controle de peso e atividade física regular, também pode ajudar a melhorar os sintomas.

É crucial que os pacientes sigam as orientações de seus dermatologistas e nunca interrompam o tratamento sem autorização médica, pois isso pode piorar a condição.

Prevenção

Embora a psoríase não possa ser prevenida, um estilo de vida saudável pode ajudar a diminuir sua progressão e melhorar a qualidade de vida. Pessoas com histórico familiar da doença devem estar especialmente atentas a possíveis sintomas e procurar ajuda médica ao primeiro sinal da doença. O diagnóstico precoce é fundamental para um tratamento eficaz e para minimizar o impacto da psoríase na vida dos pacientes.

Em resumo, a psoríase é uma doença de pele crônica que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Embora não haja cura, há várias opções de tratamento disponíveis para controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida dos pacientes. O acompanhamento médico regular e o cumprimento das recomendações do dermatologista são essenciais para o manejo eficaz dessa condição dermatológica desafiadora.

Fontes:

  • https://www.sbd.org.br/doencas/psoriase/
  • https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/psoriase/

Tenha Informações Privilegiadas sobre sua Saúde

Whatsapp Zenkkô Juice
Acesse o Grupo

5 comentários em “Psoríase: O que é, Tratamento, Causas e Sintomas”

  1. Pingback: Presidente da Câmara dos EUA é Destituído do Cargo - Boa Notícia

  2. Pingback: Como Descartar o Lixo Eletrônico Corretamente - Boa Notícia

  3. Pingback: Microbiota: O lugar onde começam todas as doenças - Reino Gastro

  4. Pingback: Doenças Autoimunes: Como surgem? Quais os tipos? Como tratar? - Reino Gastro

  5. Pingback: Artrite Reumatoide: O que é, Causas, Sintomas e Tratamento - Reino Gastro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *